Trombose Venosa em Viagens Aéreas

QUEM VIAJA MUITO DE AVIÃO PODE FICAR COM TROMBOSE (TVP)?

Sim, já é conhecida a “Síndrome da Classe Econômica”, que é a trombose que ocorre nas pessoas que fazem longas viagens aéreas (a partir de quatro horas). A falta de contração dos músculos da panturrilha por tempo prolongado ocasiona uma lentidão do fluxo sanguíneo nas pernas, o que pode levar à formação do trombo.

Não se trata de problema exclusivo da classe econômica, já que outros fatores causam trombose em longas viagens aéreas, além da imobilidade e do aperto, como a perda de água pela respiração e o aumento da viscosidade do sangue. A pressurização da cabine contribui para agravar o problema, que corresponde a altitude de 2 mil metros.

A movimentação periódica da articulação do tornozelo e a contração da musculatura da panturrilha ajudam bastante. A ingestão de líquidos (não alcoólicos) também favorece a prevenção. Pessoas mais vulneráveis, como as que já tiveram trombose, varizes ou tenham facilidade para a ocorrência de inchaço nas pernas, devem viajar usando meias elásticas. Os medicamentos devem ficar reservados à prescrição médica para portadores da trombose.

A Profilaxia, além do mencionado acima deve contar com Meias Elásticas suave compressão para os adultos que não tenham passado de Trombose Venosa ou tendência conhecida. Para os que já tenham tido algum episódio, varizes exuberantes ou facilidade de edema (inchaço) alguma medida adicional deve ser tomada.

A Aspirina não é droga profilática de Trombose Venosa. Em caso de dúvida consulte um especialista.

Start typing and press Enter to search